quarta-feira 17 de abril de 2024

Futebol Brasileiro

O campeão mundial que desprezou Lionel Messi e colocou Cristiano Ronaldo no topo

Jogador fez dupla com o português no futebol europeu
quinta-feira 08 de fevereiro de 2024 | 18:13hs.
CR7 e Messi dominaram premiações da FIFA na última década
CR7 e Messi dominaram premiações da FIFA na última década

O ex-jogador brasileiro Kaká decidiu não incluir Lionel Messi na sua seleção dos 11 ideais de todos os tempos. A revelação do pentacampeão ocorreu durante entrevista concedida ao jornal Lance, onde compartilhou sua visão pessoal sobre os melhores jogadores, optando por deixar de fora o craque argentino.

A lista de Kaká gerou intenso debate principalmente nas redes sociais, já que o argentino é uma figura dominante no mundo do futebol há mais de uma década, ganhando inúmeros prêmios, incluindo sete Bolas de Ouro. Vale lembrar que o próprio brasileiro venceu o prêmio de Melhor Jogador do Mundo em 2007 contra Messi e Cristiano Ronaldo. O camisa 10 da albiceleste conquistou a Copa do Mundo 20 anos depois do brasileiro, que era reserva do Brasil comandado por Luiz Felipe Scolari em 2002.

Kaká faz 40 anos: lembre nomes do Brasil vencedores do Melhor do Mundo da  Fifa – LANCE!
Kaká venceu Messi e CR7 na eleição para melhor jogador do mundo da FIFA em 2007

O “Dream Team” de Kaká, porém, não carece de lendas do futebol. O brasileiro incluiu Dida no gol, uma defesa composta por Cafu, Maldini, Nesta e Roberto Carlos, um meio-campo com Andrés Iniesta, Andrea Pirlo e Zidane, e um trio ofensivo formado por Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo Fenômeno e Cristiano Ronaldo

Revelado pelo São Paulo no começo dos anos 2000, Kaká foi jogar no Milan em 2003, e imediatamente caiu nas graças da torcida rossonera. Conquistou a Liga dos Campeões da Europa, a Supercopa da UEFA e o Mundial de Clubes da FIFA em 2007, além de diversos títulos nacionais. Pela Seleção Brasileira, ganhou a Copa do Mundo de 2002 e a Copa das Confederações de 2005. Jogou no Real Madrid entre 2009 e 2013, quando voltou ao Milan, e depois ao Tricolor do Morumbi. Encerrou a carreira em 2017, pelo Orlando City, dos Estados Unidos.